Real

Real.jpg

Realidade corta a direito

Sem espaço à ficção

Tu que espreitas dissimulado

Não esperes a supernova

Segue o caminho da estrela

Molda o mar e o coração.

publicado por poetazarolho às 20:51 | comentar | favorito