25
Jun 20

Universos de(s)esperança

Universos desesperança.jpg

Vazios como copos cheios

Cruzamos em bicicleta o infinito

Dos universos paralelos

Açucarados de esperança

Tropeçando em sinapses delinquentes

Abjectas e dispostas ao nada

Preenchendo vazios plenos de ódio

E assassinando amanhãs

Como se não os houvera

 

Vazios como copos cheios

Escolhemos não escolher

Dando voz às sementes estéreis

Que escolhem germinar ácido

Perfumando almas errantes

Travestidas na espuma fácil

Branqueando areais imensos

E assassinando verdades

Como se não as houvera

 

Vazios como copos cheios

Mimetizamos vagas expressões

Da felicidade obrigatória

Pairando sob negras nuvens

Rasgando as entranhas

Pra mostrar o azul intenso

Que ilumina caves de prazer

E assassinando universos

Como se não os houvera.

publicado por poetazarolho às 16:52 | comentar | ver comentários (1) | favorito
23
Mar 20

Esse lamaçal

Esse lamaçal.jpg

Nunca teremos chegado,

porque a partida é cada instante

E se uma ilusão persistir,

será apenas reconstrucção

No espaço por definir,

cabe toda a imensidão

Deste momento presente

e cada pedaço ausente

Por lhe faltar aprovação,

cabe na palma da mão

Dum ser ainda maior,

a carecer de concepção

Mas o espaço é-lhe adverso,

quiçá apenas controverso

Cada registo banal,

luta pela sua ocupação

Cada grito disperso,

não se ouve na multidão

Cada registo do mal,

vem rotulado do inverso

Cada um no lamaçal,

transformado em universo

Não sente a consciência,

preferindo a sua ausência

Por todos vamos clamando

n’areia a cabeça enterrando.

publicado por poetazarolho às 20:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito
21
Jul 19

Coeurs denudés

Coeurs denudés.jpg

Neither ear each other voices?

dans ce monde caché

entre nuages noires

chargées de mots bannales

en sortant par les fenétres

des coeurs denudés

de toutes les emotions.

publicado por poetazarolho às 13:31 | comentar | ver comentários (1) | favorito
19
Jul 19

Be only

Be only.jpg

Always asking; "Is it me?"

or is it you, or who else

might we play the game

might we ignore the ignoble

might we dance with the moon

might we cry for our dead bodies

might we fly up to the sky

might we kill every nasty brain

might we kiss the sun

or might we be only.

publicado por poetazarolho às 13:57 | comentar | ver comentários (3) | favorito

Nasty brain

Nasty brain.jpg

Above the bay was the moon
higher we felt the universe
and much higher the infinite
above all the nasty brain.

 

publicado por poetazarolho às 11:25 | comentar | ver comentários (1) | favorito
17
Jul 19

Open your wings

Open your wings.jpg

Open your wings

offer yourself to fly

often touch the sky

 

think the craziest things

don't give up and try

not flying is to die

 

buy yourself the springs

never question why

all answers will apply

 

open yourself to winds

keep your mind dry

and wings like a butterfly.

publicado por poetazarolho às 18:59 | comentar | ver comentários (1) | favorito
10
Jan 19

That was easy

That was easy.jpg

Me, myself and I

Make three of us

Where wild and dark thinking occurs

While we don’t agree to each other

So I fired me and myself

And the sun shined again.

publicado por poetazarolho às 13:34 | comentar | ver comentários (1) | favorito
04
Jan 19

Sejamos então

Sejamos então.jpg

Ser ou não ser

É possível

Ser e não ser

Ninguém é.

publicado por poetazarolho às 14:52 | comentar | ver comentários (1) | favorito
07
Jul 18

The sky isn't blue

The sky isnt blue.jpg

The pigs are all different

And some look like you

When your brain is absent

And you think you are the truth

 

Shame on you little pig

Shame, shame, shame on you

Just because you think you are big

Just because you think the sky isn’t blue.

publicado por poetazarolho às 05:16 | comentar | ver comentários (1) | favorito
05
Jun 18

After madness

After madness.jpg

When I got mad

my brain went sad

saw a few steps ahead

the happiness wasn't dead.

 

New brain, new steps, new all

and the process starts again

everything wasn't so critical

the madness wasn't in vain.

 

publicado por poetazarolho às 23:23 | comentar | ver comentários (1) | favorito