Dormências

Dormências.jpg

 

 A sopa está quente

E o caldo entornado

Tenho o braço dormente

E o cérebro encerrado

O desafinado está presente

Mas muito desafinado

Este samba é urgente

Já o escuto em qualquer lado.

publicado por poetazarolho às 00:05 | favorito (1)